Broadline (eprinomectin, fipronil, praziquantel,...) – Resumo das características do medicamento - QP54AASY

Updated on site: 21-Sep-2017

Nome do medicamento: Broadline
ATC: QP54AASY
Substância: eprinomectin, fipronil, praziquantel, (S)-methoprene
Fabricante: Merial

1.NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO

BROADLINE solução para unção punctiforme para gatos ˂ 2,5 kg

BROADLINE solução para unção punctiforme para gatos 2,5-7,5 kg

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Substâncias activas:

Cada aplicador (dose unitária), contém:

BROADLINE

Volume por

Fipronil

(S)-metopreno

Eprinomectina

Praziquantel

solução para unção

dose unitária

(mg)

(mg)

(mg)

(mg)

punctiforme

(ml)

 

 

 

 

Gatos ˂ 2,5 kg

0,3

24,9

30,0

1,20

24,9

Gatos 2,5-7,5 kg

0,9

74,7

90,0

3,60

74,7

Excipientes:

Butilhidroxitolueno (E 321) 1 mg/ml

Para a lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Solução para unção punctiforme “Spot-on”.

Solução límpida, incolor entre o amarelo e o vermelho acastanhado.

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Espécie(s)-alvo

Felinos (Gatos).

4.2Indicações de utilização, especificando as espécies-alvo

Para gatos com, ou em risco de, infestações mistas por céstodos, nemátodos e ectoparasitas. Este medicamento veterinário é especificamente indicado quando as infestações ocorrem em simultâneo.

Ectoparasitas

-Tratamento e prevenção de infestações por pulgas (Ctenocephalides felis). Eliminação de pulgas em menos de 24 horas. Um tratamento previne posteriores infestações durante pelo menos um mês.

-Prevenção da contaminação ambiental por pulgas, através da inibição do desenvolvimento de todos os estadios imaturos das pulgas (ovos, larvas e pupas) durante pelo menos um mês.

-O medicamento veterinário pode ser administrado como parte de uma estratégia de tratamento para o controlo da dermatite alérgica por picada de pulga (DAPP).

-Tratamento e prevenção de infestações por carraças (Ixodes ricinus). Eliminação de carraças em menos de 48 horas. Um tratamento previne posteriores infestações até 3 semanas.

-Tratamento da sarna notoédrica (Notoedres cati).

Céstodos

-Tratamento de infestações por céstodos (Dipylidium caninum, Taenia taeniaeformis, Echinococcus multiloculares).

Nemátodos

-Tratamento de infestações por nemátodos gastrintestinais Toxocara cati (larvas L3, L4, e adultos), Ancylostoma tubaeforme (larvas L4 e adultos), Toxascaris leonina e Ancylostoma brazilienze (formas adultas).

-Tratamento de infestações por nemátodos pulmonares do gato (larvas L3 e L4 e adultos de

Aelurostrongylus abstrusus).

-Tratamento de infestações por nemátodos vesicais (Capillaria plica).

-Prevenção da Dirofilariose (por larvas de Dirofilaria immitis) durante um mês.

4.3Contra-indicações

Não administrar a animais doentes ou convalescentes. Não administrar a coelhos.

Não administrar em caso de hipersensibilidade às substâncias activas, ou a algum dos excipientes.

4.4Advertências especiais para cada espécie-alvo

Quando se aplica o medicamento veterinário, deve ser dada especial atenção às raças de pêlo comprido, por forma a assegurar que o medicamento veterinário é aplicado diretamente na pele e não no pêlo, pois isso poderia conduzir a uma baixa biodisponibilidade das substâncias activas e, portanto, a uma eficácia reduzida.

É importante aplicar o medicamento veterinário numa área da pele onde o gato não possa lamber-se. Evitar que os animais se lambam entre eles após a aplicação.

Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos banhos/champôs na eficácia do medicamento veterinário, em gatos. Contudo, é improvável que um breve contacto do animal com a água, numa ou duas ocasiões no espaço de 1 mês após a aplicação, reduza significativamente a eficácia do medicamento veterinário. Como precaução, não é recomendado dar banho aos animais dentro dos

2 dias após a aplicação do medicamento veterinário.

Após o tratamento com BROADLINE, as carraças serão de um modo geral mortas em menos de 48 horas após a infestação, sem terem uma refeição de sangue. No entanto, visto que a fixação de

carraças isoladas após o tratamento não pode ser excluída, a transmissão de doenças infecciosas não pode ser completamente descartada.

A infestação por céstodos pode reaparecer a menos que seja realizado um controlo dos hospedeiros intermediários, tais como pulgas, ratos, etc.

Pontualmente, em alguns gatos, a infestação por Notoedres cati pode ser grave ou complicada por infecções bacterianas. Nestes casos graves o tratamento concomitante pode ser necessário.

A resistência do parasita a qualquer classe de medicamentos antiparasitários pode desenvolver-se após uso frequente de um composto dessa classe. Portanto, a informação epidemiológica sobre a actual susceptibilidade da espécie-alvo deve ser tomada em conta, a fim de limitar a possibilidade de uma futura selecção de resistência.

Os gatos em áreas endémicas de Dirofilariose, ou aqueles que viajaram para zonas endémicas, podem estar infetados por Dirofilaria immitis (adultos).

Embora o medicamento veterinário possa ser administrado com segurança em gatos que apresentem adultos de Dirofilaria immitis no coração, não foi estabelecido nenhum efeito terapêutico contra adultos de Dirofilaria immitis. Por conseguinte, é recomendado que todos os gatos com 6 meses ou mais de idade, vivendo em áreas endémicas de Dirofilariose, sejam testados para a existência de adultos de Dirofilaria immitis no coração antes de serem tratados com o medicamento veterinário para a prevenção da Dirofilariose.

4.5Precauções especiais de utilização

Precauções especiais para utilização em animais

Apenas para aplicação tópica “solução para unção punctiforme”. Não injetar, não administrar por via oral ou por qualquer outra via. Evitar o contacto com os olhos dos gatos.

A segurança do medicamento veterinário não foi testada em aplicações com intervalos inferiores a

2 semanas, ou em gatinhos pesando menos do que 0,6 kg e/ou menos de 7 semanas de idade.

Este medicamento veterinário não é destinado para ser administrado em cães. Algumas raças de cães podem apresentar um aumento da susceptibilidade às lactonas macrocíclicas, levando potencialmente a sinais de neurotoxicidade. Deve ser evitada a ingestão oral por Collies, Old English Sheepdogs e raças relacionadas ou cruzadas.

A Equinococose representa um risco para os seres humanos, e é uma doença de notificação à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Precauções especiais a adoptar pela pessoa que administra o medicamento aos animais

Não fumar, beber ou comer durante a aplicação.

Lavar as mãos após a administração.

Os aplicadores não utilizados devem ser armazenados no blister intacto.

Evitar o contato do conteúdo do aplicador com os dedos. Se ocorrer o contato lavar com água e sabão. No caso de contato acidental com os olhos, lavar os olhos abundantemente com água dado que o medicamento veterinário pode provocar ligeira irritação da membrana mucosa e ocular.

Se a irritação ocular persistir ou observar efeitos secundários, procurar assistência médica e mostrar o folheto informativo ou o rótulo ao médico.

O manuseamento dos animais tratados deve ser limitado até o local de aplicação estar seco, e não se deve permitir que as crianças brinquem com os animais durante este período. Por conseguinte é recomendado que os animais recentemente tratados não durmam com os donos, especialmente com as crianças.

As pessoas com hipersensibilidade conhecida a alguma das substâncias activas ou a algum dos excipientes, não devem manusear o medicamento veterinário.

4.6Reacções adversas (frequência e gravidade)

Pode ser observado, temporariamente, no local de aplicação após o tratamento, um aspecto aglomerado ou eriçado do pêlo. Podem ocorrer reacções cutâneas moderadas e transitórias no local de aplicação (alopécia, prurido).

Pode ser observada salivação excessiva, temporária, se os gatos lamberem o local de aplicação após o tratamento. Após a ingestão oral do medicamento veterinário podem também ser observados vómitos, e/ou sinais neurológicos transitórios, tais como: ataxia, desorientação, apatia e dilatação das pupilas.

Estes sinais são resolvidos espontaneamente, em menos de 24 horas. Uma correta aplicação minimiza a ocorrência destes sintomas (ver secção 4.9).

4.7Utilização durante a gestação e a lactação

A segurança do medicamento veterinário não foi determinada durante a gestação e a lactação. Os estudos de laboratório com cada um dos ingredientes efectuados em ratos e coelhos não revelaram quaisquer efeitos teratogénicos, fetotóxicos ou maternotóxicos. Administrar apenas em conformidade com a avaliação benefício/risco realizada pelo médico veterinário responsável.

4.8Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Desconhecidas.

4.9Posologia e via de administração

Para aplicação tópica.

A administração do medicamento veterinário deve ser exclusivamente baseada nas infestações mistas confirmadas, ou no risco significativo de tal infestação mista com ectoparasitas e nemátodos (incluindo prevenção de dirofilariose), e onde seja indicado o tratamento concomitante contra céstodos. Na ausência de risco de co-infestação, a administração de um parasiticida de curto espectro deve ser considerada como uma terapia de primeira linha.

A prescrição deve ser adequada às necessidades individuais do gato, baseada na avaliação clínica veterinária, no estilo de vida do animal e na situação epidemiológica local (incluindo riscos zoonóticos, quando relevantes) por forma a abordar exclusivamente situações de infestações mistas/risco de infestação.

O tratamento não deve ser extrapolado a partir de um animal para outro, sem o parecer do médico veterinário.

Dose:

As doses mínimas recomendadas são de 10 mg/kg de peso vivo para o fipronil, 12 mg/kg para o

(S)-metopreno, 0,5 mg/kg para a eprimomectina e 10 mg/kg para o praziquantel.

Selecionar o tamanho do aplicador apropriado ao peso do gato.

Peso do gato

Volume por

Fipronil

(S)-Metopreno

Eprinomectina

Praziquantel

 

dose unitária

(mg)

(mg)

(mg)

(mg)

 

(ml)

 

 

 

 

˂ 2,5 kg

0,3

1,2

2,5-7,5 kg

0,9

3,6

˃ 7,5 kg

 

Utilizar a combinação apropriada de aplicadores

 

Método de administração:

Usar uma tesoura para cortar o blíster ao longo da linha ponteada, e retirar a película.

Retirar o aplicador da embalagem e segurar na posição vertical. Puxar o êmbolo ligeiramente, rodar e retirar a tampa. Separar o pêlo na linha média do pescoço, entre a base do crânio e as escápulas até que a pele seja visível. Colocar a ponta do aplicador na pele e aplicar todo o conteúdo diretamente na pele, num só ponto.

A prevenção da Dirofilariose (Dirofilaria immitis larvae) deve começar pelo menos 1 mês após a primeira, provável, exposição ao mosquito.

Para o tratamento contra Aelurostrongylus abstrusus, pode ser recomendada uma segunda administração, um mês após o tratamento inicial.

4.10 Sobredosagem (sintomas, procedimentos de emergência, antídotos), (se necessário)

Foi demonstrada a segurança com até 5 vezes a dose máxima de exposição (i.e. até 15 vezes a dose recomendada) em gatinhos saudáveis com 7 semanas e mais de idade tratados até 6 vezes em intervalos de quatro semanas. Também foi confirmada, em gatos adultos saudáveis tratados 3 vezes em intervalos de duas semanas, com até 5 vezes a dose recomendada. Podem ser observados sinais neurológicos moderados e transitórios, tais como: ataxia, desorientação, apatia e dilatação da pupila, com recuperação espontânea no dia seguinte. Podem também ser observados salivação transitória e/ou vómitos, em casos isolados, em gatos e gatinhos.

Gatos infetados com adultos de Dirofilaria immitis no coração toleraram até 3 vezes a dose máxima de exposição (i.e. até 9 vezes a dose recomendada), durante 3 tratamentos com 4 semanas de intervalo, sem quaisquer efeitos adversos.

4.11 Intervalo(s) de segurança

Não aplicável.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

Grupo farmacoterapêutico: Medicamento antiparasitário, inseticidas, avermectinas, combinações de Eprinomectina

Código ATCvet: QP54AA54

O medicamento veterinário é uma solução spot-on para administração tópica, contendo os ingredientes ativos inseticida e acaricida, fipronil (adulticida) e (S)-metopreno (ovicida e larvicida), combinados com um endectocida, eprinomectina, e um cestocida, praziquantel, para completar o largo espetro com actividade contra nemátodos gastrintestinais, nemátodos pulmonares, céstodos e nemátodos vesicais.

5.1Propriedades farmacodinâmicas

O Fipronil é um insecticida e acaricida pertencente à família dos fenilpirazois. O Fipronil e o seu metabolito fipronil sulfona, actuam nos canais de cloro-ligantes, em especial os terminados pelo neuro transmissor ácido gama-aminobutírico (GABA), como também dessensibilizando (D) e não dessensibilizando (N) os canais terminados por glutamato (Glu, canais de cloro-ligantes únicos dos invertebrados) bloqueando, deste modo, a transferência pré e post-sináptica dos iões cloro, através das membranas celulares. Isto resulta numa actividade descontrolada do sistema nervoso central e na morte dos insectos e acarídeos.

O (S)-Metopreno é um Regulador do Crescimento dos Insectos (RCI) da classe de substâncias conhecidas como análogas das hormonas juvenis que inibem o desenvolvimento dos estadios imaturos dos insectos. Este composto imita a acção da hormona juvenil e causa o desenvolvimento deficiente e morte dos estadios de desenvolvimento das pulgas. A actividade ovicida, na pulga, do (S)- metopreno, resulta ou da penetração directa na casca de ovos recentemente postos ou da absorção através da cutícula das pulgas adultas. O (S)-metopreno também é eficaz na prevenção do desenvolvimento das larvas e pupas de pulgas, o que previne a contaminação do ambiente dos animais tratados pelos estadios imaturos das pulgas.

A Eprinomectina é um membro da classe das lactonas macrocíclicas dos endectocidas. Os compostos da classe ligam-se selectivamente e com uma afinidade muito elevada aos canais de iões de cloro com terminais glutamato, que se encontram nas células nervosas e musculares dos invertebrados. Este fenómeno conduz a um aumento da permeabilidade da membrana celular aos iões cloro com hiperpolarização das células nervosas ou musculares, resultando na paralisia e morte do parasita.

Foi demonstrado que o espetro de eficácia da eprinomectina abrange parasitas gastrintestinais e nemátodos extrintestinais.

O Praziquantel é um derivado sintético pirazina-isoquinolínico, com actividade contra céstodos. O Praziquantel é rapidamente absorvido pela superfície dos parasitas e afeta a permeabilidade da membrana nos céstodos, influenciando o fluxo dos catiões divalentes particularmente a homeostase do ião cálcio, pensando-se que tal contribui para uma rápida vacuolização e contracção muscular.

Este processo resulta numa severa lesão no tegumento do parasita, contracção e paralisia, interrupção do metabolismo e finalmente morte e expulsão do parasita. Podem, ocasionalmente, ser observados nas fezes fragmentos de parasitas desintegrados e parcialmente digeridos.

5.2Propriedades farmacocinéticas

A actividade ectoparasiticida do fipronil e do (S)-metopreno é mediada por contacto direto com os ectoparasitas e não por exposição sistémica. Após uma aplicação tópica do medicamento veterinário, as substâncias ativas foram detectadas em várias regiões do corpo do gato, incluindo a região da cauda, dentro dos primeiros dias da aplicação, indicando a distribuição/movimento por todo o corpo do animal, desde o local de aplicação (entre a cabeça e as escápulas).

O fipronil sulfona, como um produto de fotodegradação de fipronil, é também encontrado no pêlo. As concentrações de fipronil, fipronil sulfona e (S)-metopreno, no pêlo, diminuem com o tempo mas permanecem detectáveis durante pelo menos 42 dias após a aplicação.

A aplicação tópica, com a adicional potencial exposição oral resultante da higiene do animal, também resulta numa exposição sistémica parcial que diminui ao longo do tempo. O pico de concentração plasmática das frações absorvidas de fipronil e (S)-metopreno, são atingidas em 8 a 9 horas. Ao contrário de outras espécies, o fipronil sulfona não é formado, no gato. O fipronil é excretado principalmente nas fezes como fármaco inalterado. O (S)-metopreno, uma vez absorvido, é rapidamente metabolizado e excretado.

A eprinomectina e o praziquantel atuam sistemicamente, com concentrações plasmáticas a atingir um máximo dentro de 48 horas e 6 horas após o tratamento, respectivamente, atingindo as concentrações máximas médias (Cmax) de 20,1 ng/ml para a eprinomectina e 157 ng/ml para o praziquantel.

Uma vez absorvida, a eprinomectina é altamente ligada às proteínas plasmáticas (> 99%), tem baixa eliminação a partir do sangue, e distribui-se bem nos tecidos. O seu metabolismo é limitado, e é principalmente excretada, inalterada, nas fezes. A média de semivida deste composto é de 4,75 dias. O praziquantel tem uma distribuição moderada nos tecidos, e cerca de 64-84% de praziquantel está ligado às proteínas plasmáticas. O Praziquantel é submetido a um metabolismo hepático, seguido de excreção renal. A semivida média do praziquantel é de 3,08 dias.

Os ensaios de metabolismo in vitro e os estudos in vivo, demonstraram que não existem interacções farmacodinâmicas ou farmacocinéticas entre fipronil, (S)-metopreno, eprinomectina e praziquantel.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1Lista de excipientes

Glicerol formal. Edetato disódico (E385)

Galato de propil (E310). Ácido tiodipropiónico. Dimetil isosorbido. Butilhidroxitolueno (E321).

6.2Incompatibilidades

Desconhecidas.

6.3Prazo de validade

Prazo de validade do medicamento veterinário tal como embalado para venda: 2 anos.

6.4Precauções especiais de conservação

Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.

Os aplicadores devem ser armazenados nos blisters intactos. Os aplicadores abertos devem ser eliminados imediatamente.

6.5Natureza e composição do acondicionamento primário

Aplicadores de dose unitária em forma de seringa (copolímero olefina cíclica siliconada (COC), límpido), contendo 0,3 ml ou 0,9 ml de medicamento veterinário, fechados com uma cápsula de polímero e colocados em blísters individuais de plástico.

Caixas de cartão contendo 1, 3, 4 ou 15 aplicadores (0,3 ml cada).

Caixas de cartão contendo 1, 3, 4, 6 ou 15 aplicadores (0,9 ml, cada).

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6 Precauções especiais para a eliminação de medicamentos veterinários não utilizados ou de desperdícios derivados da utilização desses medicamentos

O medicamento veterinário não utilizado ou os seus desperdícios devem ser eliminados de acordo com os requisitos nacionais.

Não contaminar lagos, sistemas de distribuição de água ou cursos de água com o medicamento veterinário ou com as embalagens vazias, porque pode constituir perigo para peixes e outros organismos aquáticos.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

MERIAL

29, avenue Tony Garnier 69007 Lyon

França

8.NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/2/13/157/001–009

9.DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO

Data da primeira autorização: 04/12/2013

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Encontram-se disponíveis informações detalhadas sobre este medicamento veterinário no website da Agência Europeia do Medicamento http://www.ema.europa.eu/.

PROIBIÇÃO DE VENDA, FORNECIMENTO E/OU UTILIZAÇÃO

Não aplicável.

Comentários