Portuguese
Escolha a língua do site

Purevax RCPCh FeLV (Attenuated feline rhinotracheitis herpesvirus...) - QI06AX

Updated on site: 09-Feb-2018

Nome do medicamento: Purevax RCPCh FeLV
ATC: QI06AX
Substância: Attenuated feline rhinotracheitis herpesvirus (FHV F2 strain), inactivated feline Calicivirosis antigens (FCV 431 and G1 strains), attenuated Chlamydophila felis (905 strain), attenuated feline panleucopenia virus (PLI IV), FeLV recombinant canarypox viru
Fabricante: Merial

PUREVAX RCPCH FELV

Resumo do EPAR destinado ao público

Este documento é um resumo do Relatório Público Europeu de Avaliação. O seu objectivo é explicar o modo como a avaliação do Comité dos Medicamentos para Uso Veterinário (CVMP), com base na documentação fornecida, conduziu às recomendações sobre as condições de utilização do medicamento. Este documento não substitui a consulta do veterinário. Se necessitar de informação adicional sobre a doença ou o tratamento do animal, contacte o seu veterinário. Se quiser obter mais informação sobre os fundamentos das recomendações do CVMP, leia a Discussão Científica (também parte do EPAR).

O que é o Purevax RCPCh FeLV?

O Purevax RCPCh FeLV é uma vacina que contém as seguintes substâncias activas:

herpesvírus da rinotraqueíte felina atenuado (enfraquecido) (estirpe F2 do FHV),

antigénios do calicivírus inactivados (mortos) (estirpes 431 e G1 do FCV),

Chlamydophila felis atenuada (estirpe 905),

vírus da panleucopenia felina atenuado (PLI IV),

vírus canarypox recombinante (vCP97) do vírus da leucose felina (FeLV).

O Purevax RCPCh FeLV é um liofilizado (pélete liofilizado) e um solvente que são reconstituídos numa suspensão injectável.

Para que é utilizado o Purevax RCPCh FeLV?

O Purevax RCPCh FeLV é utilizado para vacinar gatos com oito semanas de idade ou mais contra as seguintes doenças:

rinotraqueíte vírica felina (uma doença do tipo gripal causada por um herpesvírus),

calicivirose felina (uma doença do tipo gripal com inflamação da boca causada por um calicivírus),

clamidiose (uma doença do tipo gripal causada pela bactéria C. felis),

panleucopenia felina (uma doença grave que causa diarreia com sangue devido a um parvovírus),

leucose felina (uma doença que afecta o sistema imunitário e é causada por um retrovírus).

A vacina ajuda a reduzir os sintomas das doenças. Ajuda, também, a reduzir a excreção viral no caso de infecção por calicivírus. Pode também prevenir a morte por panleucopenia e impedir a permanência do FeLV no sangue.

Após a reconstituição do Purevax RCPCh FeLV, procede-se à injecção de 1 ml sob a pele. A primeira injecção deve ser administrada a gatos com pelo menos oito semanas de idade e a segunda injecção três a quatro semanas mais tarde. Se o gato apresentar níveis altos de anticorpos maternos, a primeira vacinação deve ser adiada até às 12 semanas de idade. O gato deve ser revacinado para todos os componentes um ano após a primeira vacinação e,

posteriormente, todos os anos para a rinotraqueíte, a calicivirose, a clamidiose e a leucose felina e a cada três anos para a panleucopenia.

Como funciona o Purevax RCPCh FeLV?

O Purevax RCPCh FeLV é uma vacina. O modo de acção das vacinas consiste em ‘ensinar’ o sistema imunitário (as defesas naturais do organismo) a defender-se de doenças. O Purevax RCPCh FeLV contém pequenas quantidades de vírus e bactérias enfraquecidos ou mortos que causam as doenças acima enumeradas, bem como dois genes do FeLV denominados env e gag, que foram inseridos num outros vírus vector (portador) denominado canarypox, utilizando a ‘tecnologia de ADN recombinante’. Os vírus canarypox não se disseminam nem se multiplicam nos gatos, mas produzem proteínas a partir dos genes do FeLV.

Quando a vacina é administrada a um gato, o sistema imunitário reconhece os vírus enfraquecidos ou mortos, as proteínas do FeLV e as bactérias enfraquecidas como ‘estranhos’ e cria anticorpos contra eles. A partir daí, o sistema imunitário passará a ser capaz de produzir anticorpos com maior rapidez quando for novamente exposto a esses vírus ou bactérias. Os anticorpos ajudarão a conferir protecção contra as doenças causadas por estes vírus ou bactérias. Quando exposto a qualquer um destes vírus numa fase posterior da vida, o gato não ficará infectado ou apresentará uma infecção muito menos grave.

Como foi estudado o Purevax RCPCh FeLV?

A eficácia do Purevax RCPCh FeLV foi estudada em diversos ensaios em condições de laboratório, nos quais os gatos foram vacinados e infectados com herpesvírus, calicivírus C. felis, parvovírus ou vírus da leucose virulentos. No terreno, os estudos com o Purevax RCPCh FeLV avaliaram o esquema de vacinação básico (2 injecções com 3 a 4 semanas de intervalo) e a vacinação de reforço (injecção única). Incluíram gatos jovens e adultos de diversas raças, embora não tenham incluído gatinhos pequenos. O parâmetro principal de eficácia foi o nível de anticorpos no sangue contra os vírus e bactérias presentes na vacina, à excepção do componente FeLV, cuja eficácia na prevenção da infecção já fora demonstrada noutros estudos.

Qual o benefício demonstrado pelo Purevax RCPCh FeLV durante os estudos?

Em condições de laboratório, foi demonstrado que o Purevax RCPCh FeLV confere protecção contra as doenças acima enumeradas. No estudo de campo sobre a vacinação básica, observou-se um aumento dos anticorpos contra a rinotraqueíte felina por herpesvírus, a infecção por calicivírus e os vírus da panleucopenia felina. Não foi possível detectar um aumento dos anticorpos contra a C. felis devido aos níveis altos de anticorpos nos gatos no início do estudo. No estudo que avaliou a vacinação de reforço, os níveis de anticorpos contra a rinotraqueíte por herpesvírus, infecção por calicivírus, panleucopenia felina e C. felis mantiveram-se estáveis num nível alto ou aumentaram ligeiramente.

Qual é o risco associado ao Purevax RCPCh FeLV?

Ocasionalmente, os gatos desenvolverão apatia temporária (perda de interesse pelo que os rodeia) e anorexia temporária (perda de apetite), bem como hipertermia (temperatura corporal alta) durante um ou dois dias. Pode ocorrer uma reacção local na zona da injecção, com dor ligeira à palpação, comichão ou edema (inchaço), que desaparece dentro de uma a duas semanas. Para a lista completa dos efeitos secundários comunicados relativamente ao Purevax RCPCh FeLV, consulte o Folheto Informativo.

O Purevax RCPCh FeLV não deve ser utilizado durante a gestação.

Quais as precauções a tomar pela pessoa que administra o medicamento ou entra em contacto com o animal?

Em caso de auto-injecção acidental, dirija-se imediatamente a um médico e mostre-lhe o Folheto Informativo ou o rótulo. A vacina não deve ser manuseada por pessoas com um sistema imunitário debilitado. Em caso de auto-injecção nestes indivíduos, informe o médico que ocorreu uma auto-injecção com uma vacina viva de Chlamydia.

Porque foi aprovado o Purevax RCPCh FeLV?

O Comité dos Medicamentos para Uso Veterinário (CVMP) concluiu que os benefícios do Purevax RCPCh FeLV são superiores aos seus riscos na imunização activa dos gatos com oito semanas de idade ou mais contra as doenças acima enumeradas e recomendou a concessão da Autorização de Introdução no Mercado para o Purevax RCPCh FeLV. O perfil de benefício-risco pode ser encontrado no módulo 6 do presente EPAR.

Outras informações sobre o Purevax RCPCh FeLV

Em 23 de Fevereiro de 2005, a Comissão Europeia concedeu à MERIAL uma Autorização de Introdução no Mercado, válida para toda a União Europeia, para o medicamento Purevax RCPCh FeLV.

Este resumo foi actualizado pela última vez em 25 de Janeiro de 2008.

Comentários